O desafio de ser jovem e um tempo de mudanças

23/nov/2012 . 23:32


É com enorme prazer que me debruço sobre estas teclas para falar desta fase da vida humana tão importante e tão complexa que é a juventude e seus limites dentro desse cenário nebuloso ao qual se encontra a sociedade brasileira.

Digo que é um momento difícil, pois estamos em um período onde as coisas e as relações humanas são cada vez mais descartáveis, e frágeis, onde não se tem mais a valorização da pessoa humana como central em nossas vidas.

São visíveis as transformações pelas quais o mundo passa no século XXI, trazendo fortes impactos e afetando a vida de muitas pessoas, especialmente dos jovens, sendo cada vez mais atingidos na sua forma de socialização, na relação que estabelecem com a educação e o trabalho, nos seus modos de vida, nos seus pensamentos. Perdem, assim, muitas vezes, a idéia de que são responsáveis pela sua própria história, faltam-lhes perspectivas para o futuro.

Nesse contexto, há uma explosão de novos conceitos, e os jovens se deparam com grandes impasses ao buscarem seu direito de trabalhar, de estudar, de realizar seus sonhos e projetos de vida.

Cunham-se expressões novas e ao mesmo tempo resgatam-se ideias antigas: o fim da história, o desencantamento, a pós-modernidade, o pós-industrialismo e a terceira revolução industrial são termos que deixam de estar restritos ao meio acadêmico e entram no dia a dia das pessoas. Neste cenário de novas concepções, os jovens se sentem inseguros e despreparados para atuarem como atores protagonistas na sociedade em que vivem.

A juventude e as relações que estabelece com o trabalho, a educação e a família têm se tornado, nos últimos anos, tema de atenção dos pesquisadores que visam, não apenas compreender as relações do jovem com o mundo do trabalho e com a educação, mas também propor alternativas que possam vir a oferecer possibilidades para a minimização dos graves problemas que os jovens enfrentam para inserção, permanência e valorização no trabalho.

Qual seria o papel do jovem nos dias de hoje, dentro de sua sociedade, com toda essa criminalidade, todo este genocídio entre os jovens, drogas, fome, tudo isso agravado pela desigualdade social que impera no nosso país?

Digamos que o jovem coloca-se como herdeiro dos problemas sociais, mas acredita-se que, como agente construtor da sociedade, os jovens podem sim mudar todo este caos que a eles foi apresentado.

A juventude é, de certa forma, uma fase da vida humana em que se apresentam muitos desafios. É onde a turbulência em torno da crise de identidade jovem é uma constante, sendo importunado por muitas questões, como as drogas, a sexualidade, o primeiro emprego e as perspectivas de visualização de um novo mundo, dentre outros.

De fato é muito difícil ser jovem na atualidade, e aqui poderíamos citar várias questões, e uma delas é a própria condição social, cultural e econômica nas quais estes jovens estão inseridos. Vale ressaltar que falar de juventude nos remete a pensar que condições de acesso à educação estão tendo, que tipo e moradias estes jovens possuem, enfim, qual de fato é a situação real e social destes jovens.

De maneira geral, os jovens estão mais preocupados com a sua conta no FACEBOOK do que com a política de seu país; estão mais empenhados em saber qual e onde será o próximo baile funk do que se preocupar em avançar nos seus estudos.

É de fato uma juventude transviada no sentido de valorizar as coisas superficiais, de gostar mais daquilo que lhes dão retorno imediato e prazeres aligeirados. Aí entram as questões das drogas e da ostentação que funciona como um excelente atrativo para seu ego.

Nos anos 60 e 70, a juventude se preocupou em mudar o mundo, ou pelo menos tentar mudar alguma coisa na sua realidade. Temos um grande exemplo de Che Guevara que, na condição de medico argentino, ajudou a realizar a revolução cubana, se tornando assim umas das pessoas mais importantes do mundo.

Como não citar Jesus Cristo que, na sua juventude, tratou de conduzir o povo em um caminho de retidão e justiça, chegando a doar a sua própria vida em favor da humanidade.

Então fica a questão de como ser jovem na atualidade com todos estes empecilhos e atrativos que a realidade oferece.

Nada contra as tecnologias, mas esta deve estar a serviço de alguma coisa e de algum processo de mudança.

Ser jovem também é ter responsabilidade, é trabalhar, é propor mudanças, é participar das decisões políticas de seu país, de seu município, de sua escola e de sua família.

A juventude é para brilhar e a rebeldia dos jovens deve ter uma causa justa.

 

Por José Ronaldo
Especialista em Fundamentos Sociais e Políticos da Educação – UESB – e ativista social.

Comente agora

Comente esta matéria

Apelido:
E-mail:
Site:
Comentário:

Outras matériasvá para homepage

João Ubaldo Ribeiro nunca vai morrer, mas morreu o dragão

João Ubaldo Ribeiro nunca vai morrer, mas morreu o dragão(0)

No final da premiada obra de João Ubaldo Ribeiro, o sargento Getúlio Santos Bezerra, vendo a “força” que vem chegando, como a “morte deslizando pelo rio”, decide, como em todo o romance, encarar o desafio que lhe foi incumbido. Prestes a ser alvejado, num insano tiroteio entre ele e um pelotão, ele diz: “eu vou

Sobre Zúñiga, Neymar e “macacos”

Sobre Zúñiga, Neymar e “macacos”(0)

Os xingamentos ao colombiano que tirou da Copa a estrela da seleção revelam o Brasil em que a abolição da escravatura jamais foi completada O zagueiro Juan Camilo Zúñiga entrou bruto com o joelho nas costas de Neymar. Era um jogo duro e a seleção brasileira também já tinha protagonizado entradas fortes sobre membros adversários.

Maria Quitéria: heroína baiana

Maria Quitéria: heroína baiana(0)

Logo após a proclamação da Independência do Brasil, o Conselho Interino de Governo, sediado em Cachoeira na Bahia, conclamou os baianos do Recôncavo a se alistarem para luta da independência do Brasil. O escritor Brenno Ferraz (1923) que descreve a guerra da Independência da Bahia informa que Maria Quitéria solicitou o consentimento ao pai, Gonçalo

A Guerra da Bahia: um panorama

A Guerra da Bahia: um panorama(0)

A Independência do Brasil guardou para a Bahia episódios bastante intensos. Nesta então província, portugueses e brasileiros, em lados opostos, pegaram em armas para definir o futuro da porção americana do Reino Unido português. Esta guerra durou cerca de um ano e alguns dias, entre 25 de junho de 1822 e 2 de julho de

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente(0)

Não há como falar em meio ambiente sem discutir a questão da sustentabilidade, pressupondo que sustentabilidade está intrinsecamente relacionada ao meio, às pessoas, às relações, usos, necessidades, sistemas produtivos. Portanto, sustentabilidade envolve todos os atos e relações do homem em sociedade e de sua interação com o meio em que vive. Os eventos que vêm se apresentando atualmente,

leia mais

PARCEIRO . IGUAIMIX

mattus

manoel lobo saitt

my baby - viviane otica vitoria

somai

Acesse o antigo portal

IGUAIMIX.COM WebtivaHOSTING | webtiva.com . webdesign da Bahia